top of page

O Que Podemos Aprender com Jeniffer?

Em 2020, viralizou na internet um vídeo onde um “time” estava fazendo uma reunião de trabalho virtual, todos em home office, como a situação requer, quando uma participante, a Jeniffer, que por desconhecimento ou por desatenção, que participava da reunião pelo seu CELULAR, e portanto visualizava seus colegas, mas não se ligou que também estava sendo vista (sua própria imagem não aparece em seu celular nesses casos, acabei de aprender), foi ao banheiro durante a conferência. Ela só se deu conta quando percebeu o riso dos “colegas”.

Este acontecimento social e profissionalmente desastroso poderia ter ficado restrito àquele pequeno grupo de pessoas se a empatia, coleguismo e presença de liderança não estivessem ausentes nessa comunidade insana. As consequências para a Jeniffer certamente serão terríveis, passar uma vida sofrendo ciberbulling, ninguém merece - a internet nunca esquece.

Então, o que podemos aprender com a Jeniffer? Senhores Lideres, atuem para proteger a segurança psicológica das pessoas do seu time sempre, e especialmente quando ocorrerem situações bizarras como esta. A pessoa que vazou este vídeo colocou em risco o nível de confiança entre as pessoas. Isso ainda se torna mais grave num momento de grande vulnerabilidade como o que estamos vivendo. A última coisa que precisamos é de ataques daqueles com os quais deveríamos contar.


Omissão não é liderança, é falta dela. Colegas, existe um recurso nesses ambientes virtuais onde se pode mandar uma mensagem em privado para alertar alguém e protegê-lo de uma exposição vexatória e desnecessária. Isso cria e fortalece vínculos. Uma piada, enviar um vídeo engraçado é mais valioso que isso pra você? então se trate!

Amigos, mais atenção e cuidado consigo mesmo. Se arrume para as reuniões virtuais, mesmo que seja da cintura pra cima. Penteie o cabelo, não apareça com a cara de quem acabou de acordar, não faça as reuniões jogado no sofá, não tire caca do nariz ou libere outros ruídos inapropriados. Agora que encerrei meu discurso de mãe-avó, um último recado - ser autêntico serve para criar confiança e não o contrário. Se cuide e cuide dos demais!


3 visualizações0 comentário
bottom of page